Atalhos de navegação:

    A Prefeitura     Circuito da Poesia Diário Oficial Agenda do Prefeito Fale conosco



RSS lista de noticias O que é isso?


A Prefeitura

CIRCUITO DA POESIA


Arquivo/PCR
Cantor e compositor Capiba na Rua do Sol
Cantor e compositor Capiba na Rua do Sol

O Circuito da Poesia é constituído pelas estátuas de Antônio Maria (Rua Bom Jesus), Joaquim Cardozo (ponte Mauricio de Nassau), Capiba (Rua do Sol), Carlos Pena Filho (Praça da Independência), João Cabral de Melo Neto, na Rua da Aurora; Manoel Bandeira, também na Aurora; Clarice Lispector, Praça Maciel Pinheiro; Mauro Mota, na Praça do Sebo; Chico Science, no memorial do artista (Rua da Moeda); Solano Trindade, no Pátio de São Pedro; Ascenso Ferreira, no Cais da Alfândega; e Luiz Gonzaga, na Estação Central do Metrô. O projeto foi iniciado em 2005 e concluído em 2007 e tem por objetivo homenagear expoentes da cultura pernambucana e aproximar a história deles do público recifense. Para a elaboração do trabalho, a Prefeitura do Recife, em parceria com o Banco do Brasil, investiu mais de R$ 270 mil.

O trabalho foi desenvolvido pelo artista plástico Demetrio Albuquerque. O escultor utilizou alguns critérios para escolha dos locais onde foram implantadas as obras. “Os monumentos estão situados em locais que fizeram parte do cotidiano do artista ou em espaços que foram abordados na obra do poeta”, explicou.

Antônio Maria ficou na Rua do Bom Jesus porque é um local de boêmia e grande movimento cultural. Já o poeta Joaquim Cardozo está na Ponte Maurício de Nassau devido às citações encontradas na obra do poeta sobre o Rio Capibaribe. Ascenso Ferreira ficou no Cais da Alfândega em cima de pilhas de livros, local bastante visitado pelo poeta. Como o Arquivo Público foi um local onde Mauro Mota trabalhou, a Praça do Sebo, muito freqüentada pelo escritor, foi o local escolhido. Finalmente, Luiz Gonzaga ficou situado na Estação Central para homenagear os migrantes nordestinos.

Outra característica encontrada nas estátuas é a interatividade. Todas as obras possuem algum aspecto que proporcionará aos visitantes a sensação de proximidade do artista. “Todas esculturas possuem um ponto de interação. A exemplo da peça de Antônio Maria, onde ele se apresenta ao pé de uma mesa de bar com um banco vazio ao seu lado, aguardando a visita de alguém”, afirma o Albuquerque.



Enviar    Imprimir