moda

foto: Divulgação
Artesanato e Originalidade é a chave do sucesso de Eduardo Ferreira

Por Priscila Freire

Pesquisador, consultor, figurinista e estilista. Eduardo Ferreira é tudo isso e mais um pouco. Natural do Recife, Eduardo começou sua carreira no ramo da moda no final da década de 1980, como assistente de figurino da Rede Globo (ocupando esse cargo na série Armação Ilimitada) e figurinista de novela na extinta TV Manchete. Em seguida, entre 1990 e 1995, começou a trabalhar na grife Beto Kelner e em 1995 lançou sua primeira coleção.
Suas coleções seguem sempre o mesmo processo disciplinado de produção, o qual ele aprendeu em um curso de criação e estilo que fez em Paris. Inserido neste processo, estão as pesquisas antropológicas que ele desenvolve antes de confeccionar qualquer coleção. No momento, Eduardo realiza, ao lado do antropólogo Raul Lody, uma pesquisa estética sobre o Recife muçulmano para a sua próxima coleção.

Eduardo é conhecido por mesclar diferentes tipos de produtos e por explorar materiais regionais como a juta, o crochê em palha e a renda. Ele acha importante trabalhar materiais regionais uma vez que o artesanato gera exclusividade, o que é pré-requisito fundamental para o trabalho do estilista. “Eu amplio o conceito da matéria-prima misturando-a com outros elementos e com outros universos”, diz Eduardo que já conviveu com as comunidades de Pesqueira, Poção, Xingu e Pantanal para se familiarizar com o artesanato local e assim fazer links do material com suas produções.

Quando o assunto é inspiração, Eduardo diz que a música e as artes plásticas o inspiram. João Câmara, Abelardo da hora, Gilvan Samico, Francisco Brennand, Marisa Monte, Nação Zumbi, Arnaldo Antunes, DJ Dolores são apenas algumas de suas fontes de inspiração. “Trabalho sempre ouvindo música e gosto de usar trilha sonora ao vivo em meus desfiles”, revela o estilista que já contou com a participação do DJ Dolores em alguns de seus desfiles.

Entre seus trabalhos de grande importância destaca-se a exposição da qual participou, em Paris, sobre a moda brasileira; os três meses que morou em Lyon e finalizou o figurino de um espetáculo de dança, além da comercialização de roupas para uma grande rede de lojas da França. Já no Brasil, Eduardo produziu figurino para Marisa Monte, Elba Ramalho, Otto, Carlinhos Brown, Tom Zé, entre outros.

No momento, Eduardo Ferreira está dando mais ênfase a sua carreira de consultor em moda e confeccionando figurino de peças de teatro, como é o caso do espetáculo que está prestes a estrear, A Árvore de Júlia, com direção de Lívia Falcão, e o show de Gonzaga Leal que estréia em junho no Teatro de Santa Isabel.
As roupas de Eduardo Ferreira podem ser adquiridas em seu ateliê que fica na Rua Apipucos, 1210, Apipucos. 3442 1285

02 a 30/06/2008

.