artes visuais
Artes Visuais

IX UNICO Salão Universitário de Arte Contemporânea
Sesc Casa Amarela
Avenida Norte, 4490, Mangabeira
3267-4400
Até 9 de março
I
Com a proposta de despertar nas pessoas a sensibilidade artística e o olhar crítico, o Sesc traz o UNICO – Salão Universitário de Arte Contemporânea do Sesc. A mostra, que segue até 9 de março, está na nona edição e apresenta obras desenvolvidas por dez estudantes de universidades pernambucanas. A exposição está em cartaz no Sesc Casa Amarela, na Zona Norte do Recife.

A entrada é gratuita e o horário de visitação é de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h. Este ano o tema da exposição é “Arte e participação”, com curadoria de Joana D’arc Lima. Como explica a professora de Artes do Sesc Pernambuco Valkiria Porto, o tema da exposição é o conceito que abrange todos os projetos selecionados. “Uma das premissas da arte contemporânea é estabelecer relações conceituais, subjetivas e provocativas com o público, deslocando sentidos e desnaturalizando visões de mundo. Por isso, a participação do público é um fator-chave na efetivação dessas propostas. Tudo isso pode ser encontrado nos trabalhos exibidos na mostra”, afirma.

Entre os meses de setembro e outubro, universitários de todo o estado puderam inscrever seus trabalhos para serem exibidos na exposição. Desses, dez projetos foram selecionados por um júri formado por três profissionais da área. “É sempre uma alegria receber essa exposição na nossa unidade, já que o projeto estimula a criação e a sensibilidade artísticas”, afirma a professora de Artes do Sesc Casa Amarela, Fabiana Rocha.


Exposição fotográfica Ovelhas
Usina Cultural Energisa - Galeria Alexandre Filho
Rua João Bernardo de Albuquerque, 243 - Tambiá, João Pessoa - PB
Até 18 de fevereiro | Segunda a sexta das 7h30 às 20h, sábado e domingo das 13h30 às 17h30
Gratuito
(83) 3221-6343

As mulheres da colônia Penal Feminina do Recife (CPFR) são tema da exposição Ovelhas, da fotógrafa e jornalista pernambucana Priscila Urpia. O dia a dia das reeducandas que vivem na penitenciária conhecida popularmente como Bom Pastor, é retratado na mostra exposta na Galeria Alexandre Filho, que fica Usina Cultural Energisa, em João Pessoa-PB. A abertura da exposição acontece na próxima quinta-feira (18), às 19h.
Em sua primeira exposição individual a artista evidencia um olhar humano sobre essas mulheres que fazem do cárcere uma oportunidade de recomeço. Resultado de três anos de pesquisa a iniciativa já rendeu um ensaio fotográfico intitulado As Ovelhas, no ano de 2014. Na exposição Ovelhas, além das 24 fotos, o expectador também terá acesso a relatos em áudio de algumas dessas mulheres.
O nome “Ovelhas” é uma alusão a Bom Pastor, antigo nome da CPFR. Com curadoria do fotógrafo Elvio Luiz dos Santos, a mostra fica em cartaz até o dia 18 de fevereiro de segunda a sexta-feira das 7h às 20h, sábados e domingos das 13h30 às 17h. O acesso é gratuito. Como forma de alcance a toda sociedade, sem restrições, o projeto contará com audiodescrição integral das imagens expostas na exposição, para o acesso dos deficientes visuais.
A exposição fotográfica Ovelhas conta com incentivo do Funcultura/Fundarpe, Secretaria de Cultura do Governo do Estado de Pernambuco e com o apoio institucional da Secretaria de Ressocialização do Estado de Pernambuco (SERES), Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Governo de Pernambuco e da Usina Cultural Energisa (Grupo Energisa).

Exposição Rememorar Frei Caneca
Museu da Cidade do Recife
Praça das Cinco Pontas, São José
Até 06 de março
Entrada franca
Informações: 3355-9540 / 9558

O arcabuzamento de Frei Caneca completou 193 anos em janeiro. Para lembrar a data, a Prefeitura do Recife, em parceria com a Grande Loja Maçônica de Pernambuco e o Instituto Arqueológico Histórico e Geográfico Pernambucano (IHGP) presta uma homenagem ao líder revolucionário pernambucano que participou ativamente da Revolução Pernambucana de 1817 e da Confederação do Equador em 1824. Além do ato cívico, que já foi realizado em Janeiro, o publico poderá conferir a exposição com peças históricas restauradas pelo IHGP.

São peças contemporâneas à Revolução Pernambucana de 1817 ou relacionadas ao movimento. A restauração, realizada com o apoio do Governo do Estado – mediante a lei n. 15.877 (de 12/06/2016) – fez parte das ações envolvendo o bicentenário da revolução. “Além de conhecer as peças, o público terá acesso a fotos dos bastidores desse trabalho de restauração, tão importante para preservação da nossa história”, afirmou a gerente do Museu da Cidade do Recife, Betânia Corrêa de Araujo.


Exposição Orquestra Fantasia
Museu Murillo La Greca,
Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, 366, Parnamirim
3355-3126
De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h.
Até 14 de fevereiro
Gratuita

Música para os olhos. É isso que a artista visual recifense Isabela Stampanoni vai expor no Museu Murillo La Greca, equipamento cultural da Prefeitura do Recife até o próximo dia 14 de fevereiro. Gratuita e aberta ao público, a exposição Orquestra Fantasia foi inaugurada em Dezembro e é composta por um acervo de obras construídas e improvisadas pela artista a partir de instrumentos musicais antigos e usados, evocando a plasticidade do som e os efeitos do tempo sobre todas as coisas, inteiras ou pela metade.

Segundo a artista, a mostra é uma reunião espontânea, “sem muito refinamento”, acrescenta Isabela, de objetos e instrumentos que habitam seu atelier e seu fazer artístico. Além de ser um convite para que as pessoas encontrem e observem seu próprio ritmo, a música de suas rotinas e corpos.

“A exposição trata de movimento e de processos paralisados, que sofreram ação do tempo, pequenas modificações e muita improvisação. As obras evocam o som e convidam os curiosos a interagir com objetos e instrumentos sem nome específico, dispostos de forma a serem vistos ou tocados no ritmo que o público desejar, além da exibição de um vídeo onde buscamos sons e ruídos para integrar o conjunto da obra”, explica Stampanoni, cuja mostra que entra em cartaz agora foi contemplada no Edital de Artes Visuais da Prefeitura do Recife de 2015.

Sobre a artista ­- Graduada em artes plásticas na Universidade Federal de Pernambuco, Isabela Stampanoni é uma artista de muitas plataformas e linguagens, tendo já se dedicado ao desenho e à pintura, à ilustração, fotografia, vídeo e direção de arte. Isabela fez curso de Filmmaker na Scuola Civica Di Cinema, Televisione e Nuovi Media di Milano, em Milão, frequentou e trabalhou na Stamperia di Giorgio Upiglio de Gravuras, naquela mesma cidade, e, de volta ao Recife, foi coordenadora de arte do Museu Murillo La Greca por dois anos, de 2011 a 2013.



Exposição Desmanche Construção (dis) Junção: Oxigênio e Outros Trabalhos, de Roberto Vietri
Galeria Janete Costa (Parque Dona Lindu) –
Av. Boa Viagem, s/n, Boa Viagem
3355-9825
Ter a sex | 12h às 20h ; Sáb | 14h às 20h e Dom | 15h às 19h
Visitação até 8/02/2018
Entrada gratuita

Em sua primeira individual no Nordeste, o fotógrafo e artista plástico Roberto Vietri se vale de muitas linguagens artísticas para conversar com o público, trazendo desde o conjunto de obras chamado (O)utros Trabalho(s), além de vídeos, peças inéditas e instalações, que irão rediagramar o espaço interno da galeria. Fortemente conceitual, a mostra cria um jogo imagético onde as obras podem ser encaixadas como peças de um grande tabuleiro. Com vários níveis vivenciais, o artista propõe experiências que atingem os mais diversos públicos, em um espaço que convida o interlocutor a ser parte do jogo e não apenas expectador.

Na instalação Oxigênio, por exemplo, uma praia será reproduzida dentro de uma das únicas galerias de arte do país com vista para o mar. Nesse litoral artificial, o público será desafiado a ler um texto, constantemente engolido pela areia inquieta.

Paulistano, Vietri tem dedicado sua produção à leitura das possibilidades da fotografia contemporânea, pensando-a em diálogo com a escultura e técnicas como o desenho, por meio de um jogo de improvisações visuais inspiradas em conceitos da música, principalmente o jazz.
Contemplada pelo Edital de Artes Visuais de Recife em 2015, a exposição tem curadoria de Galciane Neves, expografia de Marcus Vinicius Santos.


Confira as exposições do Instituto de Cultura Brasil-Itália
Rua Marquês Amorim, 46 Boa Vista
3221.4112
Ter à Sex | 9h às 21.30h
Sáb | 9h às 13h.

Pinturas de Leonardo da Vinci
A exposição conta com 23 pinturas de Leonardo da Vinci. Durante a visita é possível observar a produção artística em belas publicações e ver documentários. Leonardo da Vinci nasceu em Vinci (Toscana) Itália em 1452 e faleceu em Amboise na França em 1519. Leonardo, um artista do Renascimento Italiano, foi um gênio até hoje lembrado e questionado em todo o mundo.
Pintor, desenhista, escritor, inventor, pesquisador, músico, escultor, cientista, filosofo, ele foi também um pintor renascentista e seu grande mérito está nos desenhos e nas belas pinturas. Suas belas pinturas estão em vários museus do mundo. Estudou o vôo dos pássaros e inventou novas armas. Grande observador da natureza. Considerado um gênio de sua época e de todos os tempos.
Até 30/12/2018

Exposição: Roma
hall de entrada do Instituto, a exposição é composta de gráficas com imagens da cidade eterna Roma, seus monumentos, sua beleza, seus encantos milenares, durante a exposição é possível assistir documntários sobre Roma e consultar livros e revistas sobre aquela cidade.
Até 30/12/2018

Exposição Fotografica em Branco e Preto
Sala 1 do Instituto, a exposição é composta de fotografias originais de fotografos italianos, retratando o cotidiano da Itália e dos italianos.
Fotografos italianos participantes: Sergio Cipriani, Aurelio Spinelli, Renato Pennuti, Rosangela Betti, Nicola Frangione, Carlo Manzano, Donato Prosdocimo, Virgilio Carnisio, Luigi Sarallo, Simone Bellagamba, Rino Di Maio, Carlo Fiorentino, Leopoldo Banchi, Maristella Campolunghi, Nando Chiappetta e Renato D'Aleo.
Até 30/12/ 2018

Exposição: Imigração Italiana no Brasil
Mostra permanentesala 2 do Instituto, a exposição contém reproduções de documentos e imagens dos italianos no Basil, a contribuição do povo italiano no nosso contexto nacional, no local tem livros, revistas, jornais sobre o tema e é possível ver filmes sobre a imigração italiana no mundo, é possível fazer pesquisas.
Até 30/12/ 2018

Exposição: Indios do Brasil
Sala 3 Biblioteca Brasil-Itália, a exposição é composta de gráficas e objetos do mundo indigena do Brasil, é possível consultar livros e material sobre os indios e o Brasil.
Até 30/12/ 2018

Entre as peças que fazem parte da exposição, estão o retrato de Frei Caneca, de Domingos José Martins e José Luís de Mendonça. Os dois primeiros integraram o Governo Provisório da República de Pernambuco. Também foram restauradas duas raras gravuras em papel representando o casal D. Pedro I e D. Leopoldina produzidas por ocasião do seu casamento (cujas festividades no Rio de Janeiro foram adiadas por conta da Revolução Pernambucana). Os dois se tornariam, em 1822, os primeiros monarcas do Império do Brasil.

01 a 28/02/2018
.

.