Gráfico
Clique na imagem para ampliar
Biblioteca Popular de Casa Amarela

Biblioteca Popular de Casa Amarela

          As Bibliotecas Populares de Casa Amarela e Afogados atendem não só às comunidades que formam o seu entorno, mas também toda a Região Metropolitana do Recife. Cada biblioteca tem uma clientela que gira em torno de 40.000 pessoas/ano e emprestam em média 800 livros mensalmente. A clientela é formada em sua maioria por estudantes de primeiro e segundo graus, estudantes de concurso, leitores de jornal, professores, entre outros.

• Público Infantil: estudantes de nível fundamental, crianças da comunidade e crianças acompanhadas dos pais, que são usuários da biblioteca;

• Público Juvenil: estudantes de nível fundamental e médio, jovens da comunidade, jovens que chegam através dos nossos canais de divulgação para (pesquisa, utilização da sala de jogos, sala de internet, seções de cinema, oficinas, palestras, exposições e visitas guiadas);

• Público Adulto: estudantes de nível superior e técnico, pessoas da comunidade, do comércio, das associações de moradores, e também os atraídos pela nossa divulgação. Todos estes têm a sua disposição: jornais locais, Jornal de Concursos, revistas nacionais atualizadas, acesso livre ao acervo da biblioteca, incluindo material para concursos públicos, sala de internet, sala de jogos, seções de cinema, ações culturais do mês e atividades recreativas através de oficinas;

• Público da Boa Idade: os idosos têm espaço garantido nesta biblioteca, além de virem espontaneamente para a leitura em nosso espaço, participam de atividades culturais e de entretenimento. Recebemos semanalmente grupos da boa idade, vindos de associações, de abrigos, de grupos da terceira idade em ter outros.

          As Bibliotecas atendem não somente a população do Recife, mais pessoas de outros municípios, como Camaragibe, Olinda, Paulista e cidades circunvizinhas.



Gráfico
Clique na imagem para ampliar
Biblioteca Popular de Afogados

Biblioteca Popular de Afogados

          As Bibliotecas Populares de Casa Amarela e Afogados atendem não só às comunidades que formam o seu entorno, mas também toda a Região Metropolitana do Recife. Cada biblioteca tem uma clientela que gira em torno de 40.000 pessoas/ano e emprestam em média 800 livros mensalmente. A clientela é formada em sua maioria por estudantes de primeiro e segundo graus, estudantes de concurso, leitores de jornal, professores, entre outros.

• Público Infantil: estudantes de nível fundamental, crianças da comunidade e crianças acompanhadas dos pais, que são usuários da biblioteca;

• Público Juvenil: estudantes de nível fundamental e médio, jovens da comunidade, jovens que chegam através dos nossos canais de divulgação para (pesquisa, utilização da sala de jogos, sala de internet, seções de cinema, oficinas, palestras, exposições e visitas guiadas);

• Público Adulto: estudantes de nível superior e técnico, pessoas da comunidade, do comércio, das associações de moradores, e também os atraídos pela nossa divulgação. Todos estes têm a sua disposição: jornais locais, Jornal de Concursos, revistas nacionais atualizadas, acesso livre ao acervo da biblioteca, incluindo material para concursos públicos, sala de internet, sala de jogos, seções de cinema, ações culturais do mês e atividades recreativas através de oficinas;

• Público da Boa Idade: os idosos têm espaço garantido nesta biblioteca, além de virem espontaneamente para a leitura em nosso espaço, participam de atividades culturais e de entretenimento. Recebemos semanalmente grupos da boa idade, vindos de associações, de abrigos, de grupos da terceira idade em ter outros.

          As Bibliotecas atendem não somente a população do Recife, mais pessoas de outros municípios, como Camaragibe, Olinda, Paulista e cidades circunvizinhas.



Gráfico
Clique na imagem para ampliar
6º Festival de Literatura

6º Festival de Literatura

          A Letra e a Voz inspira-se em livro homônimo do ensaísta suíço Paul Zumthor, que estuda o conflito, no âmbito da poesia, entre suas expressões vocal e escrita.

          O 6º Festival Recifense de Literatura realiza-se no mês de agosto de 2008 e consta de: Festa do livro, seminários, mesas-redondas, oficinas descentralizadas de criação e leitura, leituras de ficção e recitais poéticos, exposições, minicursos.

          A escolha da data deve-se a uma lei municipal de 1984 que instituiu o Dia do Poeta Recifense, tomando por base o dia do nascimento do poeta Mauro Mota, 16 de agosto.

          Desde a colonização, o Recife tem sido importante celeiro de artes e artistas e desempenhado fundamental papel na história do Brasil, especialmente a partir do século XIX, quando desponta, ao lado dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e outros, como destacado centro da vida intelectual brasileira.

          Como tal, esteve à frente de inúmeros movimentos políticos e artísticos e, desde sempre, oferece mão-de-obra científica aos mais diversos setores da vida nacional.